Como você acredita que as relações humanas e a rotina ficarão depois da quarentena?

Como você acredita que as relações humanas e a rotina ficarão depois da quarentena?

30 de abril de 2020 0 Por Ammece

Assim como você, temos nos questionado como o mundo ficará após essa quarentena. O que será o novo “normal”, como ficará a relação entre as pessoas?

Nós somos um povo naturalmente afetivo, gostamos de beijos e abraços, será que mudaremos nossos hábitos por amor e cuidado aos que amamos?

E no trabalho? Alguma empresas já estão estudando a possibilidade de escalas entre home office e idas ao escritório para evitar aglomerações.

São tantos desafios e adaptações que ficamos de certa forma ansiosos para saber como as relações humanas e a rotina ficarão depois dos meses de isolamento social.

Conversamos com mulheres dos 20 aos 70 anos, de várias partes do Brasil, com realidades e vidas diferentes. Vejam o que  responderam sobre o tema:

“Eu acredito que vai mudar muito! As pessoas vão demorar a ter segurança de novo, por exemplo eu faço jiu jitsu, mesmo que abra a academia vou ter receio por um tempo, por causa da proximidade.” BEATRIZ MATTES, VETERINÁRIA, 41 ANOS.

“No lado afetivo a presença física de quem queremos perto será ainda melhor. Talvez com certa distância em termos de abraços e beijos. A rotina diária será diferente, compras em geral, somente via internet.” EDELY GUARDA, CULINARISTA, 64 ANOS.

“Acredito que as relações humanas serão mais verdadeiras, pois esse distanciamento nos fez pensar em quem realmente se importa conosco e nos aproximará muito mais depois que tudo isso passar!” JULIANA CARVALHO, ARTESÃ, 42 ANOS.

“Não tenho perspectiva de melhora em termos de relação humana. Estamos percebendo que ainda muitas pessoas não despertaram para uma nova realidade. Parece que o chacoalhão não foi suficiente. Acho que será necessário uma onda mais forte. E ela virá. Isso não é pessimismo, veja bem, ocorre que o ser humano infelizmente em sua maioria só cresce com a dor.” SILVIA M. MINÉRO, TERAPEUTA QUÂNTICA, 50 ANOS.

“Acho que essa quarentena está servindo para repensarmos na vida e resignificarmos as coisas e pessoas que queremos por perto. Quando tudo isso passar, os valores serão outros, se “matar“ de trabalhar para que? Se você não tiver saúde, todo esse esforço foi em vão. Voltar a rotina vai ser difícil, aprendemos que o lugar mais seguro é o nosso lar, porém, é uma volta necessária para colocar em prática todo o aprendizado. As pessoas estarão mais conscientes.” PALOMA SILVASTON, PUBLICITÁRIA, 33 ANOS.

“Eu acredito e espero que as pessoas possam ter percebido o quanto é importante a atenção para com o próximo, o cuidado e saber ouvir. Solidariedade é algo que todos têm dentro de si. Espero que esse sentimento que brotou em muitos permaneça e contagie os demais, que seja uma semente com frutos lindos no futuro!” CASSIA BASSI, ADMINISTRADORA, 41 ANOS.

Esses depoimentos nos fizeram refletir sobre as profundas transformações que, durante esse período, aconteceram internamente, mudanças em nossa forma de enxergar a vida e nossas prioridades. Vejam mais opiniões e reflexões de nossas seguidoras.

“Eu  acredito  que pessoas  sensíveis continuarão sempre se preocupando com o outro!  Só  saberemos  com  tempo!” FÁTIMA LIRA, MAQUIADORA, 57 ANOS.

Depois da quarentena iremos voltar melhores, pensando como devemos fazer para que possamos entender que, somos todos iguais e como fazer pra ajudar um ao outro. Com certeza, trataremos o outro com mais amor verdadeiro e vamos nos ajudar. Essa será a nossa rotina, é o que espero!”  VIRGÍNIA BARROS, PRODUTORA DE RÁDIO E TV, 70 ANOS.

Nada é por acaso. O mundo estava ficando completamente desequilibrado, os valores desnivelados, as palavras moral, caráter e dignidade completamente em desuso e a Fé, quase desconhecida! Então Nosso Divino Pai nos deu uma chacoalhada. O mundo parou. Todos em suas casas aprendendo a buscar a felicidade no aqui agora. Um dia após o outro.

A quarentena nos fez crescer, valorizar o que temos, melhorar os relacionamentos com os nossos, valorizar a saúde, a vida e o melhor que temos.” SANDRA CHAVES, CONTATO COMERCIAL, 62 ANOS.

Nas relações humanas, não acredito que haverão grandes mudanças, as pessoas têm medo, mesmo agora com a pandemia tem muitos que fingem estar tudo bem. Já na rotina acredito que haverão grandes mudanças, a necessidade  de trabalhar de casa, fará as empresas aderirem a novas formas de trabalho.” FLÁVIA MAIRONE, ARTESÃ, 33 ANOS.

Algumas pessoas evoluirão espiritualmente com o medo de não haver o amanhã. A instituição família será mais valorizada. Mas a política se tornará ainda mais sórdida e ignorante, infelizmente.” LUA BARBOSA, ARTESÃ, 58 ANOS.

Muito se fala na inversão de valores e como esse período está servindo para reavaliar e ressignificar nossos valores e planos futuros. Você tem planejado melhor seus projetos pessoais e profissionais depois desse período? Continue acompanhando mais opiniões sobre como ficará nossa vida após a quarentena.

Acredito que as pessoas já estão mudando suas rotinas se adaptando ao mundo digital, ao home office, aos cuidados com os filhos e a casa, diariamente. Os hábitos alimentares também mudarão, alguns incluíram atividades físicas, outros descobriram hobbies novos.

O modo de trabalhar de se comunicar também serão adaptados, não será mais necessário estar presente para atender um cliente, estar em uma reunião, assinar um documento, matar a saudade, se reunir com amigos ou família.” MICHELLE OLIVEIRA, CORRETORA DE SEGUROS, 43 ANOS.

Vamos ficar mais distantes, evitando aglomerações e isso me faz pensar como irei em shows, cinema, barzinhos, aniversários, casamentos? Tudo será diferente, com mais dependência da tecnologia. Por mais que nosso isolamento seja forçado, vamos nos adaptar e nos acostumar. No geral teremos um Brasil com menos calor humano e com mais mania de limpeza.” DÉBORA MIRANDA, ESTUDANTE, 33 ANOS.

Eu acredito que, quando tudo isso passar, muitos de nós estaremos mais atentos ao nosso interior, voltados ao espiritual e ao autocuidado. Mais atentos ao presente, pois teremos aprendido que o dia de amanhã pertence à Deus, e que de uma hora pra outra, tudo o que acreditamos ser de um modo, pode sofrer alterações, e não podemos interferir, apenas aceitar.” JULIANA SOUZA, DONA DE CASA, 38 ANOS. 

Se existe um lado bom dessa quarentena é ver que precisamos de muito menos do que temos para sobreviver. Sentimos falta de sair, para ver os amigos, conversar, mudar o cenário é só. O que vem atrás é supérfluo.” THAIS REQUENA, ARQUITETA, 39 ANOS.

Olha eu acredito que depois da quarentena tudo ficará bem melhor, no sentido das pessoas serem mais solidárias, sinceras e talvez gentis. O mundo pós pandemia também servirá para que as pessoas desacelerem um pouco mais e saibam que existe um mundo além do seu próprio. Enfim, dias melhores virão!” ALESSANDRA FUGI, ECONOMISTA, 49 ANOS.

Infelizmente não tenho observado uma mudança. Acho que as pessoas não mudam tão fácil assim. Tenho visto pessoas agindo como se nada estivesse acontecendo, inclusive a violência contra a mulher aumentou neste período. Eu acredito que ainda tem muita gente boa, mas tenho visto ainda muitos animais abandonados, muito lixo na rua.” JANETTE BORGES, ELETRICITÁRIA APOSENTADA, 62 ANOS.

Eu acredito que após este período de quarentena as relações ficarão mais humanas, muitas pessoas darão mais valor aos momentos em família que, até então, estavam bem escassos. Na questão corporativa, o home office tem tudo para ser uma tendência e funcional por aqui e as tecnologias também serão aproveitadas de forma melhor.” KELLY COSTA, JORNALISTA, 41 ANOS.

Lendo esses depoimentos tão diferentes, mas ao mesmo tempo unidos por uma esperança por mudanças, é incrível como cada uma, dentro de sua realidade, consegue vislumbrar pontos essenciais para serem melhorados,  inclusive no cuidado aos animais. Aproveite nossos últimos depoimentos.

Eu acho que as pessoas tiveram que se resgatar, buscar os valores que a tecnologia nos roubou de uma forma muito frenética e esquecemos da importância humana. As pessoas conseguiram parar um pouco para pensar sobre o planeta, sobre a vida, a relação com as pessoas. Eu mesma mudei em vários aspectos. Eu acho que ficará melhor.” LIRA KOMMERS, MESTRE QUEIJEIRA, 57 ANOS.

Nada será como antes. Será uma vida diferente, nos contatos sociais teremos muito mais cuidado. Espero que os seres humanos, sejam mais humildes, ajudem mais uns aos outros. Que os filhos passem mais tempo com os pais, os netos liguem e visitem mais os avós. Espero que o racismo não seja tão forte. Espero que depois dessa epidemia o ser humano se torne realmente mais “humano.” CIDA COSTA, ASSISTENTE, 49 ANOS. 

Eu acredito que a rotina, tudo o que a gente vivia há meses atrás, vai demorar para acontecer de novo. A inocência que era. O vírus é invisível, então todo dia quando eu saio de casa tenho medo da exposição. Hoje vivo uma realidade que os meus negócios estão parados, não vejo meu namorado, convivo com a minha mãe de 65 anos e todo dia que eu saio para trabalhar a volta para casa é um risco muito grande e isso é muito desumano! Sonho todos os dias em ver no jornal que tudo isso acabou.” BRUNA SANTIAGO, MAQUIADORA, 24 ANOS.

E você, quais são suas expectativas e anseios em relação ao futuro do mundo?

Esperamos que todos esses relatos ajudem você nessa descoberta de um amanhã repleto de amor, esperança e oportunidades de sermos melhores!